Entretenimento


Esportes, rinhas, touradas, rodeios, circos.

Animais são usados para entretenimento em uma série de atividades: equitação, corridas de cavalos, corridas de cães, rinhas de cães, rinhas de galos, rodeios, vaquejadas, circos com animais como elefantes, leões, tigres.

Além da violação básica da liberdade desses animais, diversas outras violações derivam dessas atividades. Os cavalos são objeto de eugenia (seleção genética para “melhoria da raça”), criados em baias e submetidos a treinamentos que não atendem às suas necessidades, mas ao interesse exclusivo do ser humano. Além disso, se são usados em competições, estão expostos a ferimentos, muitas vezes fatais, ao doping e outras formas de abuso. Bois, touros e cavalos usados em touradas, rodeios, vaquejadas, estão igualmente expostos a ferimentos, ao estresse da competição e a maus-tratos por parte de seus criadores (como o uso do “sedenho”, que é amarrado no tronco do animal, desde o lombo até a parte de baixo, incluindo o pênis). No Brasil existe ainda a “farra do boi”, festa popular típica do estado de Santa Catarina, na qual bois são perseguidos pelas ruas das cidades, sofrendo castigos pelo caminho.

Cães e galos criados para brigas são forçados a lutar até a morte. Cães de corrida sofrem abusos semelhantes aos de cavalos criados para os mesmos fins. Além disso, eles dificilmente vivem mais de 2 anos, quando poderiam viver mais de 10. O esforço excessivo causado pelas corridas pode provocar problemas nas articulações.

Nos circos, os animais são submetidos a diversos castigos físicos pelos domadores e são obrigados a aprender “truques” que servem apenas para divertir os espectadores. Têm suas presas retiradas, vivem enjaulados, freqüentemente subnutridos e isolados, o que causa sérios danos a animais sociais, como elefantes. Além disso, não podemos ignorar o fato de que os animais carnívoros criados em circos geram uma demanda a mais de carne de animais de corte. Existe em andamento uma campanha para a proibição do uso de animais em circos, no Brasil, o que é fundamental para encerrar com esta série de abusos.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

TRATAMENTO

PROTEÇÃO ANIMAL

CRUELDADE

GRATIDÃO

ESPECIAL

ALEGRIA

VÍTIMAS DA CAÇA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>