Bloco de Esquerda denuncia a morte de milhares de peixes no açude de Abrantes


Milhares de peixes estão morrendo junto ao açude construído no Tejo “por deficiências nos corredores que deveriam permitir a sua passagem”, alertou hoje o partido português Bloco de Esquerda (BE).

Em requerimento dirigido ao Ministério do Ambiente, a Concelhia de Abrantes do BE afirma que o declive que os peixes têm que transpor no açude é muito acentuado (1,5 metros) e a corrente provocada pelo desnível de água é tão forte que torna difícil, senão mesmo impossível, a passagem deles pelo local.

“Tal fato tem levado à morte de milhares de peixes junto ao açude e não permite a reprodução das espécies, com graves impactos para a biodiversidade do rio Tejo. É imperioso que estes erros sejam corrigidos o quanto antes. A passagem dos peixes no açude deve ser mais extensa, reduzindo o declive e a força corrente das águas, ponderando-se da necessidade de aí prever uma zona de repouso. Além disso, a entrada da passagem deve ficar junto ao leito do rio e não a 1,5 metros de altura, como agora sucede, e fazer-se em zona de abrigo e não de corrente”, diz o texto do requerimento assinado pela deputada Alda Macedo.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

PROTEÇÃO ANIMAL

CRUELDADE

GRATIDÃO

ESPECIAL

ALEGRIA

VÍTIMAS DA CAÇA

MAUS-TRATOS


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>