A viagem continua

Europa de bicicleta pelos animais

Antonio de Matteis, italiano, e Sabine Knoll, alemã, são um casal que partiu do sul de Itália de bicicleta, para uma jornada pela Europa Ocidental. O intuito é o de...

81

10/04/2009 às 10:31
Por Redação

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Antonio de Matteis, italiano, e Sabine Knoll, alemã, são um casal que partiu do sul de Itália de bicicleta, para uma jornada pela Europa Ocidental. O intuito é o de sensibilizar as pessoas para a causa dos animais abandonados. Nesta quinta-feira partiram da cidade do Porto em direção a Viana do Castelo e numa pausa na Póvoa do Varzim revelaram ao TVI 24 que “os portugueses têm recebido a iniciativa com muita curiosidade”.

No dia 22 de Agosto de 2008 saíram da pequena cidade de Ostuni para cumprir um trajeto de cerca de 13 mil quilômetros, em 14 meses, por oito países, Itália, França Espanha, Portugal, Bélgica, Holanda, Alemanha e Áustria. Levam apenas dois carros atrelados às bicicletas e estão acompanhados pelos três cães. Especialmente para esta jornada criaram ainda um blog onde publicam uma espécie de diário online.

A viagem nasce, como explica Antonio, “da ideia de percorrer a Europa em bicicleta. Sabina concordou, mas não sem levar os cães”. “Quando os cães ou os gatos são muito pequenos as pessoas acham-lhes muito bonitinhos, mas depois crescem e já não acham tanto”. Por isso, esta “é uma oportunidade para passar a mensagem de que quando se adota um cão ou um gato tem que ser para a vida toda. Não se trata de um jogo, é um ser vivo”.

Reações das pessoas

Durante os 5.800 quilômetros, já percorridos, as reações daqueles que os vêem passar são muito diversas, “há aqueles que nos olham como um casal de turistas estranho e os que batem a mão contra a nossa”, no entanto “são poucos aqueles que acham que esta iniciativa não traz nada de bom”.

Há também os que os acusam de que, mesmo estando a lutar a favor dos animais, estão “a obrigar os animais a um grande esforço na caminhada”. Mas Antonio explica que “percorremos apenas 25 quilômetros por dia e nunca mais de três horas”. De qualquer forma “estes são cães que não estão habituados a ficar deitados, são bastante ativos”.

Suporte das despesas

Para uma jornada como esta é preciso tempo, mas também dinheiro. Antonio garante que “não temos qualquer tipo de ajudas financeiras. Todas as despesas saem do nosso bolso”. A única ajuda partiu “de um patrocinador que nos ofereceu as bicicletas”. Depois também há “as pessoas que nos dão pequenos donativos na estrada”.

Antonio fez questão de contar que foi bastante apoiado em Portugal “por algumas instituições de defesa dos animais e também por alguns particulares que nos ajudaram inclusivamente com um teto”, já que o casal tem dormido numa barraca. Inicialmente o casal ainda pediu ajuda a uma instituição italiana de grande dimensão, “mas recusaram talvez por não acreditar que o fossemos mesmo fazer”.

Bicicleta roubada em Espanha

Durante a viagem foram várias as peripécias por que passaram, no entanto “de vários episódios engraçados que tivemos se calhar lembro-me mais rapidamente de um que não foi tão bom”. Na Espanha “a bicicleta de Sabine foi roubada, o que nos deixou preocupados, mas logo nos enviaram outra”.

Antonio de Matteis e Sabine Knoll que em Portugal já passaram por Faro, Lagos, Aljezur, Sines Tróia, Setúbal, Barreiro, Lisboa, Santarém, Leira, Figueira da Foz, Aveiro e Porto, seguem sexta-feira em direção a Viana do Castelo.

Fonte: IOL

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.