Responsabilidade e Consciência Ambiental


“Há uma ligação em tudo. O que ocorrer com a terra recairá sobre os filhos da terra. O homem não tramou o tecido da vida; ele é simplesmente um dos seus fios. Tudo que fizer ao tecido fará a si mesmo”.

A ANDA existe para ajudar a construir uma realidade mais empática, interativa e humana através da notícia, sob a perspectiva de nossa relação com os animais e com o planeta. Nosso dia a dia se faz de informação e ações que entreguem aos nossos leitores a consciência de que habitamos um mundo em rede, em que todos os seres são interdependentes e interconectados, onde toda ação, positiva ou negativa, afetará uma vida.

É exatamente sob este entendimento que, nós da ANDA, trabalhamos: a fim de gerar impactos positivos por meio de iniciativas e projetos que gerem sempre modos mais sustentáveis de se viver, ajudando a transformar vidas e o meio ambiente (impactos socioambientais).

ANDA Responsabilidade e Consciência Ambiental é mais que um espaço dedicado a essas iniciativas, é um convite à interação e participação de nossos leitores para que atitudes sejam inspirações para a transformação, mudando a realidade para melhor.

CARTA DA TERRA

Iniciativas :

- Adoção do Veganismo

Nós, que fazemos a ANDA – veganos (98%) e vegetarianos (2%) –, já damos uma contribuição muito importante para a sustentabilidade do planeta. Ao dizermos NÃO ao consumo de carne ou de qualquer produto que contenha ingredientes de origem animal:

·         Economizamos, individualmente, 1.5 milhão de litros de água;

·         Salvamos 1 mil metros quadrados de árvores por ano;

·         Com o nosso estilo de vida, ajudamos a combater a fome e a sede (os maiores flagelos da humanidade);

·         Mitigamos o aquecimento global;

·         Evitamos a contaminação dos solos e das águas; 

·         Impedimos a desertificação e o desperdício de energia;

·         Ao respeitarmos plenamente os direitos animais, garantimos também a preservação da biodiversidade do planeta. 

- Plantio de árvores

Em 2010, a ANDA, por meio de parceria feita com o IBDN (Instituto Brasileiro de Defesa da Natureza – www.ibdn.org.br), neutralizou as emissões de CO2 geradas pela utilização de computadores com o plantio de árvores no Parque Ecológico do Tietê, em São Paulo. Esse plantio de árvores é feito anualmente, a partir do cálculo das nossas emissões de CO2.

- Selo Ambiental Gold Standard

As organizações devem ser um bom exemplo sobre como viver em equilíbrio com a natureza. Mais uma vez este ano, a ANDA será neutra de carbono. Foram comprados créditos de carbono Gold Standard da Offsetters, uma organização reconhecida internacionalmente que tem trabalhado com empresas, ONGs e governos há mais de uma década para diminuir os impactos climáticos.

O selo Gold Standard é o mais importante e o de maior qualidade disponível no mercado mundial. O padrão foi desenvolvido por ONGs com o objetivo de assegurar que os compensadores tenham benefícios sociais e ambientais verificáveis.

A compra compensada da ANDA ajuda a apoiar iniciativas socioambientais como o parque eólico Mare Manastir na Turquia, que produz energia limpa e gera renda para a construção de estradas e educação na comunidade local e o Projeto Fogão em Uganda.

- Atitudes ambientais responsáveis que podemos todos adotar

Antes de qualquer atitude, o mais importante é entender que nossos hábitos e escolhas pessoais de consumo impactam direta e significativamente, todos os dias, a natureza. A boa notícia é que um estilo de vida mais simples, escolhas inteligentes e ambientalmente responsáveis podem fazer muito mais pelo planeta do que você imagina.

Veja aqui exemplos do que podemos mudar e novas posturas que podemos adotar em prol da sustentabilidade e do bem-estar coletivo:

 1. Considere o veganismo em sua vida – a adoção do veganismo é a forma mais eficaz de proteger o meio ambiente. A pecuária e a produção de alimentos à base de carne exigem mais água do que a produção de alimentos veganos. Causam a devastação das florestas, danos irreparáveis ao solo, sem contar o impacto no efeito estufa pela liberação de dióxido de carbono, metano, óxido de nitrogênio e amoníaco provenientes de toda cadeia produtiva da carne!

2. Economize água – tome banhos mais curtos, verifique e conserte vazamentos, feche torneiras e mangueiras durante o uso. Se você pode, colete água da chuva para rega de plantas e lavagem de calçadas e incentive seu condomínio a utilizar água de reuso.

3. Plante árvores – incentive a sua comunidade a plantar e a valorizar o verde. A vegetação é essencial á vida, provendo oxigênio, a renovação do ar e a manutenção da temperatura ideal. Não corte árvores ou destrua o verde no entorno do seu bairro. Seja consciente e incentive a conservação criando grupos de conscientização ambiental em sua comunidade.

4. Mude seus hábitos de transporte e locomoção – a consciência sobre a necessidade de dirigir e viajar de avião impactam enormemente o meio ambiente. Analise racionalmente suas necessidades diárias de transporte. Tente optar por meios de transporte mais eficientes, verdes e econômicos no uso de combustíveis, como o metrô, por exemplo. Caminhar um pouco mais a pé pode ser bom para sua saúde. Que tal a bicicleta se seu local de trabalho é relativamente próximo? A necessidade e presença de um mundo colaborativo sugere mais interação para economizar os recursos naturais e poupar a natureza: crie grupos de carona com colegas de trabalho e/ou estudo e dividam o carro e o combustível.

5. Recicle além do lixo – todos sabem que reciclar lixo é essencial, mas não é tudo. Do lixo à água, papel, sacolas, produtos de uso do dia a dia, móveis, vestuário, existe uma infinidade de produtos que pode ser reciclada e reutilizada além de sua função original. Usabilidade e criatividade são as palavras que o novo traz. Invente e mãos à obra!

6. Compre alimentos e produtos fabricados localmente tanto quanto possível – frequente as feiras e comércios de sua região. Eventos comunitários de compra e venda de produtos artesanais ou produzidos localmente, a troca e o uso de produtos consertados e reciclados em vez de comprados novos já é uma realidade bem aceita na Europa e em países avançados economicamente. Seja inovador e incentive essas práticas.

[elementor-template id=”1382″]