ÚLTIMAS NOTÍCIAS:
  • Compartilhe

Texto

Tratamento

Fisioterapia em animais: regulamentada há três anos pelo CFMV

28 de junho de 2009 às 11:41

De uma hora para outra Yuri parou de andar. A secretária Vera Lucia Luquetti ficou desesperada com o sofrimento do seu shitzu. Há quase quatro meses, o cão de 3 anos parou de andar por conta de uma hérnia de disco. Depois de 10 dias de tratamento com remédios sem nenhuma melhora, a indicação foi a fisioterapia.

Para surpresa de Luquetti e da veterinária que cuida de Yuri, o cão voltou a andar na quinta sessão do tratamento. “Fiquei muito feliz quando o vi andando. Há algum tempo, eu nem conhecia fisioterapia para cães”, disse.

O tratamento fisioterapêutico em animais é novo no Brasil, foi regulamentado pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária em 2006. De acordo com a médica veterinária Karine Pacheco, apesar dos excelentes resultados, ainda há muitos profissionais que não acreditam nos resultados da fisioterapia em animais.

Segundo Karine, a fisioterapia é indicada para o tratamento de diversas doenças como problemas ortopédicos, neurológicos, musculares, problemas nas articulações, hérnia de disco, artroses, paralisias, sequelas neuromotoras de cinomose (doença infectocontagiosa que afeta os cães) e luxações.

A fisioterapia também é utilizada com sucesso nos tratamentos pré e pós-operatórios ortopédicos, para alívio da dor, aumento de força e resistência, aumento da coordenação motora e da amplitude dos movimentos articulares e outros problemas. “O tratamento pode ajudar em quase todos os problemas neuromotores e físicos do animal e, ainda, colabora para que ele fique bem relaxado”, afirmou a veterinária.

Karine explica que a fisioterapia pode ser feita em cães, gatos e até mesmo em animais exóticos e selvagens. O tratamento é feito com a ajuda de vários aparelhos como os que utilizam raios laser e infravermelhos, ultrassom, esteira aquática e outros que ajudam na reabilitação do animal.

A fisioterapia também pode ser feita na água com hidroterapia e banhos terapêuticos. “A indicação dos exercícios é estabelecida para cada paciente mediante avaliação da patologia”, disse Karine.

Algumas raças podem ter lesão na coluna

A fisioterapia em animais é indicada para vários problemas Foto: divulgação

A fisioterapia em animais é indicada para vários problemas Foto: divulgação

De acordo com a médica veterinária Karine Pacheco, alguns animais possuem maior predisposição para terem lesões na coluna e por conta disso podem precisar de fisioterapia. “A raça com maior predisposição, por conta de sua anatomia, é o teckel (conhecido também como salsichinha)”, afirmou.

A teckel Cigana, de 5 anos, parou de andar em abril e mesmo com o tratamento ainda não conseguiu recuperar o movimento. “O caso dela está mais difícil porque, juntamente com a paralisia, ela teve infecção renal. Agora que melhorou da infecção estamos apostando que ela vai responder melhor ao tratamento”, disse a dona de casa Vânia Borges, dona de Cigana.

Vânia conta que, há 8 anos, perdeu uma cadela da mesma raça por conta desse problema. “Como na época ninguém falava em fisioterapia para cães, todo o tratamento foi feito com remédios que atacaram o fígado da minha cachorrinha, que não resistiu e morreu”, disse Vânia.

Felícia, outra teckel de Vânia também já deixou de andar, mas recuperou os movimentos com cinco dias de fisioterapia e hoje caminha normalmente. Por conta do sucesso obtido com Felícia, a dona de casa está otimista de que a cadela Cigana volte a andar. “Atualmente ela faz acupuntura e fisioterapia com infravermelho”, disse.

O tratamento fisioterápico deve se iniciar o mais cedo possível

O tratamento fisioterápico deve se iniciar o mais cedo possível Foto: divulgação

Segundo a veterinária, a cura completa, dependendo da patologia, não é possível, mas o índice de reabilitação é altíssimo. “Muitos animais chegam ao serviço de fisioterapia sem conseguir andar, seja por problemas de coluna, ligamentos, displasia, sequelas neurológicas de cinomose ou traumatismos, e com o uso dos recursos fisioterápicos conseguem retomar as suas atividades normais”, disse Karine Pacheco.

A veterinária ressalta a importância em começar o tratamento o mais rápido possível. “Quanto mais cedo se inicia a fisioterapia, mais rápida é a recuperação do animal. É preciso que todos os proprietários de animais tenham consciência de que o sacrifício não é a melhor nem a única opção para o animal que deixou de andar, que sente dor, que perdeu alguma função física ou tem/teve cinomose. Sempre há caminhos a serem usados para aumentar o bem-estar do animal e para buscar a cura. A fisioterapia está aí para ajudar nisso”, afirmou a veterinária.

Fonte:  Correio de Uberlândia

  • Compartilhe

  • Imprimir Imprimir
  • Comunicar Erro

Enviar para um amigo
Comunicar erro

eu apoio a anda

Janine Borba

Janine Borba

Dizem que quem não gosta de samba bom sujeito não é, pois eu acho que quem não gosta de bichos bom sujeito não é! Eu que

Janine Borba
Jornalista e apresentadora

Jornalista e apresentadora

Arnaldo Baptista

arnaldo1

O Arnaldo Dias Baptista ainda anda defendendo o vegetarianismo e a eletricidade gerada pelo sol. Portanto, ser embaixado

Arnaldo Baptista
Cantor e compositor

Cantor e compositor

Veja todos os depoimentos »

Facebook
Você é o repórter
Siga a ANDA: