ÚLTIMAS NOTÍCIAS:
  • Compartilhe

Texto

Resende/RJ

Campanha contra cinomose vacina quase 200 cachorros

22 de agosto de 2012 às 12:40

A ação visa a erradicação da cinomose no entorno do bairro Toyota. (Foto: Divulgação/SOS 4 Patas)

A terceira edição da campanha ‘Cinomose aqui não’ vacinou gratuitamente 180 cachorros contra a doença, no último domingo. Os animais foram imunizados também contra leptospirose, hepatite e adenovirose. A iniciativa é da clínica SOS 4 Patas, com patrocínio da Merial Brasil, uma das empresas líderes em saúde animal em todo o mundo, e apoio da Sociedade Mundial de Proteção Animal (WSPA).

De acordo com a diretora da SOS 4 Patas, Alba Bento, a ação visa a erradicação da cinomose no entorno do bairro Toyota. “Ainda é um trabalho local, 30% dos animais da região foram diagnosticados com o vírus. Estamos livrando a área da doença. Mas o ideal é que todos os tutores vacinem seus animais”, disse.

A cinomose é uma doença viral, altamente contagiosa, que pode atingir vários órgãos e, frequentemente, leva à morte filhotes e adultos. O custo da vacina varia de R$ 50 a R$ 80. A campanha beneficia a vacinação de animais de famílias de baixa renda cadastradas. “O veterinário da família foi de casa em casa e identificou as famílias com esse perfil. Nós não podemos doar para todos, mas é importante ressaltar que é mais barato pagar a vacina do que a tentativa de tratamento”, informou Alba.

Não há medicamento específico para o tratamento a doença, o que torna a cura mais difícil. O cachorro doente deve ser isolado para receber tratamento de apoio e antibióticos para auxiliar no combate a infecções secundárias. A campanha informa ainda que filhotes não têm bom prognóstico de recuperação, com taxa de mortalidade bem alta. O tratamento de apoio é feito com a reposição de líquidos perdidos durante a doença, além de oferecer um ambiente limpo e com temperatura agradável.

Se a cinomose evoluir para os estágios finais sem que o cachorro receba tratamento, pode haver danos neurológicos difíceis de tratar, sendo que o veterinário pode sugerir o sacrifício do animal. Os animais em tratamento podem continuar a espalhar o vírus por várias semanas, mesmo depois do desaparecimento dos sintomas.

Os primeiros sintomas da cinomose são: perda de apetite, falta de coordenação, vômito e diarréia, febre e apatia. O vírus é transmitido entre um animal doente e outro susceptível. Por isso, uma forma comum de contaminação ocorre em canis, onde os animais frequentam os mesmos locais e animais doentes podem ter contato com outros saudáveis ainda não vacinados. Para estarem imunizados, os filhotes devem receber três doses e adultos devem ser vacinados uma vez por ano.

Fonte: A Voz da Cidade

  • Compartilhe

  • Imprimir Imprimir
  • Comunicar Erro

Enviar para um amigo
Comunicar erro

eu apoio a anda

Eduardo Jorge

eduardojorge

A consciência e a alma mais ampliada dos humanos não lhes concedem mais direitos sobre as outras espécies animais e vege

Eduardo Jorge
Ex- Secretário Municipal do Verde e Meio Ambiente de SP

Ex- Secretário Municipal do Verde e Meio Ambiente de SP

Zélia Duncan

zelia

Cuidar dos animais é cuidar da vida, é querer mais harmonia e amor pras nossas vidas. Por isso apóio o trabalho da ANDA,

Zélia Duncan
Cantora

Cantora

Veja todos os depoimentos »

Facebook
Você é o repórter
Siga a ANDA: