ÚLTIMAS NOTÍCIAS:
  • Compartilhe

Texto

Será pedido isenção

Dívida milionária da SUÍPA ameaça futuro de animais abandonados do Rio de Janeiro

15 de novembro de 2013 às 15:00

Cerca de 40 animais chegam à Suipa diariamente, segundo a presidente da entidade (Foto: Fabio Gonçalves/Agência O Dia/Estadão Conteúdo)

Cerca de 40 animais chegam à Suipa diariamente, segundo a presidente da entidade
(Foto: Fabio Gonçalves/Agência O Dia/Estadão Conteúdo)

Três mil e quinhentos animais que foram abandonados nas ruas do Rio estão, hoje em dia, abrigados na Sociedade União Internacional Protetora dos Animais (Suipa), em Benfica, Zona Norte. E “não para de entrar nenhum, apesar das dificuldades”, diz a presidente da instituição, Izabel Cristina Nascimento. Mas, a qualquer momento, isso pode mudar.

São cães, gatos, cavalos, porcos, cabritos e até animais retirados de rituais religiosos que estão ameaçados. Desta vez, o inimigo não é a encruzilhada. Nem os maus-tratos. Um obstáculo burocrático tirou dois títulos de caridade da Suipa, dados pelo Governo federal até a década de 90: utilidade pública e entidade filantrópica. Com isso, um novo imposto foi acrescentado aos gastos: quase R$ 40 mil mensais, que se multiplicaram após quase duas décadas.

“Vivemos de doações. Nem sempre o colaborador pode pagar no início do mês. Digamos que [ele] pague no dia 10. Quando nós vemos, já estamos devendo funcionário. Pagamos R$ 380 mil só de salários. Aí a Receita Federal começou a cobrar: ‘Tem que pagar, tem que pagar’. Como, se a gente não tem?”, questiona a presidente da Suipa, que ressalta ainda os custos de mais de 30 toneladas de ração, medicamentos e gastos básicos, como luz e água.

Preocupada com a possibilidade de ter de fechar as portas, a Suipa recorreu a advogados e autoridades. O governador do Rio, Sérgio Cabral; a ministra da casa Civil, Gleisi Hoffmann; e até a presidente Dilma serão procurados para considerar o perdão da dívida.

“Uma comissão de advogados vai a Brasília para tentar restabelecer as isenções [de imposto]. Nos tornamos uma empresa falida. É uma dívida impagável”, lamentou.

Fonte: G1

  • Compartilhe

  • Imprimir Imprimir
  • Comunicar Erro

Enviar para um amigo
Comunicar erro

eu apoio a anda

Flávia Lippi

braços abertos

De todas as violências que sofremos, as que cometemos com mais frequência são as que cometemos contra nós mesmos. Nessa

Flávia Lippi
Jornalista, empresária e empreendedora social

Jornalista, empresária e empreendedora social

Jooji Hato

jooji mila

A imprensa amplifica a voz e as lutas da sociedade e muitas vezes é fator decisivo na pauta da agenda política dos gover

Jooji Hato
Deputado estadual PMDB/SP

Deputado estadual PMDB/SP

Veja todos os depoimentos »

Facebook
Você é o repórter
Siga a ANDA: