• Compartilhe

Texto

Solução é a castração

Saiba reconhecer os sintomas da gravidez psicológica nos animais

12 de março de 2011 às 13:34

A cadelinha Neguinha, de raça indefinida, já é mamãe faz tempo – ela teve cria duas vezes –, mas enfrenta um mesmo problema sempre que sai do cio: a  gravidez psicológica.

“Ela pensa que teve bebê. Fica deitada no tapete e os outros cachorros não podem chegar perto, pois ela pensa que vão pegar o seu bebê”, conta sua tutora, Jaqueline Porpeta Batista.

Além desse comportamento, Neguinha apresenta um sintoma clássico da gravidez psicológica. “Seus mamilos ficam inchados e até já chegou a sair leite”, relata.

Não pense que apenas a Neguinha está sujeita ao comportamento. De acordo com o veterinário Jorge Costa, a gravidez psicológica em cachorras é mais comum do que nós pensamos e pode ocorrer em cadelas que já cruzaram ou não.

“Após o cio, há uma variação hormonal muito grande, que é como se ela estivesse grávida. A maioria apresenta os sintomas da gravidez, mesmo não estando nessa condição.”

Jaqueline mostra um dos sinais da gravidez psicológica de Neguinha (Felipe Barduchi/Agência BOM DIA)

Os sintomas são iguais aos da verdadeira gravidez e incluem falta de apetite e de vontade de brincar ou ficar perto de humanos, posse e proteção exagerada de objetos como sapatos, camisetas, pedaços de pano, almofadas ou bichinhos de pelúcia. Elas podem inclusive apresentar comportamento agressivo e, por incrível que pareça, a agressão por proteção maternal é mais comum em fêmeas que não possuem filhotes do que nas que acabaram de parir.

“Isso dura, em média, dois meses e acontece sempre após o cio. Tem animal que os sintomas são mais perceptíveis”, explica o veterinário.

Só existe uma maneira de acabar com o problema: a castração. “Além da gravidez psicológica, a castração evita a piometra (infecção do útero), tumor de mama e doenças sexualmente transmissíveis”, destaca Jorge.

Então, se você não quer que sua cachorrinha dê cria, castre e evite problemas como a gravidez psicológica.

Principais sintomas

Falta de apetite:  A fêmea pode passar a comer menos ou até chega a recusar a comida durante esse período.

Agressividade: Como uma defesa e uma forma de proteger os filhotes imaginários, o animal se torna mais agressivo.

Carência: Ao mesmo tempo, o animal pode querer brincar mais e aumentar seus  pedidos de atenção ao tutor.

Mamas inchadas: Algumas chegam até a dar leite. O perigo nessa fase é a gata ou a cachorra passar a lamber demais para limpar e deixar a área sensível vulnerável a doenças.

“Enxoval”: Preste atenção se sua  animal anda preparando uma espécie de ninho para receber os filhotes de mentira, além de adotar um objeto, como um bicho de pelúcia, para cuidar e proteger.

Fonte: Rede Bom Dia

  • Compartilhe

  • Imprimir Imprimir
  • Comunicar Erro

Enviar para um amigo
Comunicar erro

eu apoio a anda

Luisa Mell

luisa mell

A ANDA é o único veículo de comunicação brasileiro totalmente voltado à divulgação e concientização sobre a realidade e

Luisa Mell
Apresentadora e atriz

Apresentadora e atriz

Giovanna Ewbank

giovanna_ewbank

Os animais são os seres mais puros que existem, eles não podem falar, mas seu olhar já nos diz tudo! Quem dera se todos

Giovanna Ewbank
Atriz

Atriz

Veja todos os depoimentos »

Facebook
Você é o repórter
Siga a ANDA: